Luto

>> terça-feira, 28 de junho de 2011

lutoMinha mãe faleceu hoje pela manhã aos 86 anos. Ela teve uma febre alta e foi hospitalizada ontem a noite. Um dos meus irmãos ficou com ela. Antes de dormir, ela teria dito que estava cansada e que eo Nelson (meu pai) iria buscá-la. Hoje não acordou. Morreu dormindo, como ela sempre quis. Que sua alma esteja em paz e seu descanso seja sereno.

Read more...

E nos dias de melancolia... Serena

>> sábado, 25 de junho de 2011

Read more...

Glenda & Gabriela: ruivinhas queridas

Glenda & Gabriela

Read more...

Who am I? I´m nobody.

>> sábado, 18 de junho de 2011

A melhor cena da animação "Rango", que é um camaleão que vive a se questionar: "who am i?"  Não são necessárias muitas palavras para bater fundo. É de doer o coração.



  

Read more...

Dóris

>> segunda-feira, 13 de junho de 2011

Pure Lati Yellow Lumi, a nova integrante da minha família BJD.
Chegou hoje, tão fofinha!
   

Read more...

Eduardo e Mônica

>> quinta-feira, 9 de junho de 2011

Eu adorava essa música. E sonhava viver um amor tipo Eduardo e Mônica. E não é que mais ou menos aconteceu? Gêmeos fora, Leo e Nina. "E quem um dia irá dizer que não existe razão pras coisas feitas pelo coração?"





 

Read more...

Algo sobre o socialismo

>> segunda-feira, 6 de junho de 2011

Navegando por aí encontrei o texto abaixo.
Tem a ver com as próximas eleições de Portugal.
Como achei interessante, resolvi postar aqui também.

Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado, uma vez, uma turma inteira.
Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e “justo”.
O professor então disse, “Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames.”
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam “justas”. Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria. Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia 20 valores…
Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores. Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!
Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas. Portanto, agindo contra os seus princípios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos. O resultado, a segunda média dos testes foi 10. Ninguém gostou.
Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.
As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela turma. A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma.
No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros. Portanto, todos os alunos chumbaram… Para sua total surpresa. O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes. Preguiça e mágoas foi o seu resultado.
Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado. “Quando a recompensa é grande”, disse, o professor, “o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável.”
O pensamento abaixo foi escrito em 1931.
É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade. Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos. O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém.
Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustenta-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.
“É impossível multiplicar riqueza dividindo-a.”
Adrian Rogers, 1931

Read more...

Brincar de boneca é muito bom!


Kevin, boneco da Musse e minha boneca Felícia Felina no "Baile das Dolls", 
que aconteceu virtualmente, ontem, domingo dia 05 de junho de 2011.

  

Read more...

O que os Finlandeses precisam de saber sobre Portugal

>> quinta-feira, 2 de junho de 2011

Eu adorei esse vídeo.
E aqui não entro nos méritos econômicos, políticos ou morais de tal campanha.
Gostei, porque aprendi aqui e ali coisas sobre Portugal.





  

Read more...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

  © Blogger template Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP